Imprimir esta página
22 Set

Ação para ressarcimento de aumento abusivo em plano de saúde prescreve em três anos

reajuste abusivo em plano de saAde coletivo por adesAoOs ministros julgaram sob o rito dos repetitivos dois recursos especiais que questionavam os prazos prescricionais aplicáveis em duas situações: na proposição de ação para declarar nula cláusula de reajuste por mudança de faixa de idade; e, declarada nula a cláusula, no ajuizamento de ação para pleitear o ressarcimento do valor pago de forma indevida.

O assunto foi cadastrado no sistema dos recursos repetitivos como tema 610. Os ministros decidiram, por maioria de votos, que não há prescrição para ingressar com ação que conteste a cláusula de reajuste de mensalidade do plano de saúde, enquanto estiver vigente o contrato.

Quanto ao ressarcimento dos valores pagos, a tese consolidada foi proposta pelo ministro Marco Aurélio Bellizze: "Na vigência dos contratos de plano ou de seguro de assistência à saúde, a pretensão condenatória decorrente da declaração de nulidade de cláusula de reajuste nele prevista prescreve em 20 anos (Código Civil de 1916) ou em três anos (Código Civil de 2002), observada a regra de transição do artigo 2.028 do CC/2002". (Resp 1360969 e Resp 1361182). (Com informações da Assessoria de Comunicação do STJ).

Fonte: www.tjsc.jus.br

 

Última modificação em Quinta, 22 Setembro 2016 16:21